Entrevista com Eiichiro Oda de 2007

“Após o lançamento do último mangá de 2007, entrevistamos o grande professor Eiichiro Oda. Com sucesso nacional e internacional de seu trabalho One Piece por 10 anos, ele falou um pouco para nós, da carreira como escritor de mangá.”

Q: Você pode nos dizer o motivo pelo qual decidiu ser um escritor de mangá?

Oda: Foi quando descobri o que era ‘ser um escritor de mangá’ na época do pré-zinho. Eu gostava muito dos trabalhos do Hujio Hujiko-sensei, e quando me falaram que os escritores ganhavam dinheiro pra viver apenas escrevendo e desenhando, acabei ficando impressionado. Na época, para mim, ‘desenhar e escrever não era um trabalho’. Meu pai vestia o terno, ia para a empresa, e só voltava do trabalho à noite. Aquilo sim, era trabalhar. Por isso, havia decidido ser um escritor de mangá, já que desde aquela época gostava de desenhar, e recebia elogios dos meus desenhos.

Q: E, depois disso, o que você fez?

Oda: Quando tinha uns 15 anos, comecei a escrever、e quando fiz 17 anos, ganhei um diploma. Eu só gostava disso, e tipo, eu tinha uma firmeza nos desenhos, mas não conseguia desenhar mangá direito. E, eu não gostava muito de criar histórias, então meu professor me chamava atenção em algumas coisas às vezes. E, se não há história, não dava pra avançar os desenhos.

Essa foi a primeira barreira para ser escritor. Porque pensava que sabendo desenhar poderia ser um escritor de mangá, mas não era nada disso. Depois disso, eu comecei a ler historinhas básicas, para ter uma noção de como fazer uma história legal, que todos possam ler e gostar.

Depois disso, me formei, e fui para a faculdade de Kumamoto. Passei um ano lá, mas não era o que eu queria. Bem, eu não gostava de estudar, e pensava que continuar na faculdade era perda de tempo. (Risos)

Q: Na faculdade tinha alguém que te ensinava sobre Mangás?

Oda: Não, não tinha ninguém. Eu só falava para as pessoas que desenhava, e nada de mais. Naquela época, quando falava que desenhava, todos me zoavam, falando que era coisa de desocupado e retardado. E como não queria que todos me chamassem de Otaku, eu fiquei quieto até ser um escritor de verdade. Virando um escritor famoso, não teria mais porque ficar escondendo que desenho, e isso seria normal. Por isso ficava botando na cabeça “Quero ser um profissional que todos possam admitir!”. Pra mim era o sentimento mais forte naquela época.

Depois de um tempo, parei de fazer faculdade e arrumei um serviço num bequinho, como assistente de um escritor profissional.

Q: Como foi quando você viu a mesa do escritor?

Oda: Eu me lembro direito como foi. Era em 1994, quando estava lançando Midori Yama The Police Gang do professor Mitsutoshi Shimabukuro. Eu me assustei quando vi a mesa do professor, só com os esboços dos desenhos dele, meus olhos brilharam.

Sabe aquele papel da revista da Jump? Que é de papel reciclado, eu pensei que ia ficar todo estranho, mas não. Aquele esboço era muito bonito. Era dez vezes mais bonito do que eu imaginava ser. Eu fui em vários locais de trabalho dele, e a cada lugar que ele me levava pra trabalhar, cada desenho era um mais belo que o outro. Não dava nem pra comparar o meu desenho com o dele.

Q: Você já se emocionou com algum trabalho junto com os profissionais?

Oda: Foi depois que o professor Mitsutoshi Shimabukuro terminou o mangá na Jump, fui trabalhar com o professor Tokuhiro Tada, do The Jungle King Ta-chan e A lenda do vampiro. Ele é do tipo que trabalha bastante, gosta de fazer as coisas bem certas. Acho que foi aquela vontade de trabalhar que ele tem, que me fez emocionar bastante. Eu até pensei em ir aprender algumas coisas com ele, mas parece que sou preguiçoso demais pra ser um escritor igual à ele. (risos)

Q: O que você fazia lá, no local de trabalho do professor Tokuhiro Tada?

Oda: Eu fiquei fazendo os desenhos de fundo dos quadrinhos, e fiquei mais ou menos um ano e meio fazendo desenho de fundo. Mas durante esse tempo, ele me ensinou várias coisas, como contornar pessoas, uma técnica especial para fazer expressões, e etc.

Q: Depois que você terminou o trabalho com o professor Tokuhiro Tada, você logo foi ajudar o professor Nobuhiro Watsuki? Tinha inúmeras coisas pra fazer, sendo assistente do Professor Nobuhiro Watsuki, não é?

Oda: Sim, logo que terminei os trabalhos com o Professor Tada, fui atrás do Professor Watsuki. Mas não fiquei muito tempo trabalhando com ele. Porque à cada semana ficávamos trabalhando um certo tanto de tempo. Acho que foram apenas quatro meses. Depois disso, eu só ajudava ele a fazer coisas básicas.

Q: Pode nos contar alguma lembrança com o professor Watsuki?

Oda: Uma lembrança? Vamos ver… Com o professor Watsuki eu encontrei um monte de sentimentos. Amizade e rivalidade. Não sei, só sei que era muito legal. Era uma coisa ‘muito louca’.

Q: Teve um tempo, que na Jump, um dos escritores mais populares era o Assistente do professor Watsuki.

Oda: É mesmo. Desde aquela minha época de Assistente, eu pensava em trabalhar duro. Então acho que aquela foi a conclusão, de trabalhar duro e afins. Eu tinha ficado muito feliz.

Q: Dentre os rivais, tem alguém que você considera bastante?

Oda: Sim, o professor Hiroyuki Takei, o autor do Shaman King. Ele tem um bom senso, e até hoje ele consegue me surpreender. Ele consegue desenhar facilmente aquelas coisas que a gente diz: – Não, eu não vou conseguir desenhar. – Ele é bom em desenhar robôs, enfim, ele é uma pessoa muito surpreendente. De verdade.

Entrevista traduzida diretamente do japonês em 2007 para o site da One Piece World.


1 Trackback / Pingback

  1. Conheça a história de Eiichiro Oda – One Piece World

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*